Rosalba Carriera: Inverno

Rosalba Carriera: Inverno

Musicólogos ainda hoje discutem a origem da palavra concerto. Uns dizem que vem do latim concertatum, do verbo concertare, que significa competir ou lutar; já outros dizem que vem de consertum, do verbo conserere, que significa entrelaçar, fazer nó. A discussão é boa, pois se alguns concertos lembram um diálogo musical entrelaçado, outros parecem uma grande disputa entre as partes.

A origem do concerto remonta ao final do século XVII, quando orquestras de cordas passaram a executar sonatas para instrumentos solos. Aproveitando a novidade, compositores italianos começaram a explorar o contraste entre solos e tuttis. Se alguns preferiram trabalhar com um grupo de músicos solistas (o que originou o concerto grosso), outros preferiram dar maior destaque ao solista do primeiro violino. Rapidamente outros instrumentos foram convidados a fazer parte da brincadeira, e já no início do século XVIII era comum encontrar concertos para flautas, oboés, violoncelos e fagotes.

O modelo de concerto que Vivaldi ajudou a construir ficou conhecido como Concerto Italiano, ou concerto all’italiana, e acabou sendo copiado até por não-italianos, como Bach e Händel. Bach inclusive fez várias transcrições de concertos de Vivaldi para cravo, justamente para poder aprender o estilo, e aplicou-o com sucesso em várias de suas obras, como por exemplo nos Concertos de Brandenburgo ou no Concerto Italiano BWV.971.

Mas vamos voltar ao Vivaldi, porque só falta um concerto para terminar a série das Quatro Estações!

Soneto

L’Inverno O Inverno
Agghiacciato tremar tra nevi algenti
Al severo spirar d’orrido vento,
Correr battendo i piedi ogni momento;
E pel soverchio gel batter i denti;
Tremer congelado em meio a neve fria
Ao rigoroso expirar do horrível vento,
correr batendo os pés a todo momento;
E pelo excessivo frio bater os dentes;
Passar al foco i dì quieti e contenti
Mentre la pioggio fuor bagna ben cento

Caminar sopra il ghiaccio, e a passo lento
Per timor di cader girsene intenti;
Passar os dias calmos e felizes ao fogo
Enquanto a chuva lá fora molha a tudo

Caminhar sobre o gelo, e devagar
Por temor de cair nesse intento;
Gir forte sdruzziolar, cader a terra
Di nuovo ir sopra ‘l giaccio e correr forte
Sin ch’il giaccio si rompe, e si disserra;
Andar rápido e escorregar, cair no chão
De novo andar sobre o gelo e correr rápido
Sem que o gelo se rompa e se dissolva;
Sentir uscir dalle ferrate porte
Scirocco, Borea, e tutti i venti in guerra
Quest’è ‘l verno, ma tal, che gioia apporte.
Ouvir sair das fechadas portas
Siroco (*), Bóreas e todos os ventos em guerra
Este é o inverno, mas tal que alegria traz.

(*) Falamos sobre Bóreas no post do Verão. Siroco é vento sudeste que sobe do Saara, responsável por tempestades no Mediterrâneo e que atinge o sul da Europa trazendo frio e umidade.

Concerto para violino, cordas e contínuo Op.8 nº4 RV.297 em Fá menor – “Inverno”

1º mov.: Allegro non molto

1. Tremer congelado – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 1. Allegro non molto (Fabio Biondi – Europa Galante):

As notas repetidas representam o Tremer congelado do frio…

2. Horrível vento – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 1. Allegro non molto (Fabio Biondi – Europa Galante):

… que é trazido pelo Horrível vento de inverno.

3. Correr e bater os pés pelo frio – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 1. Allegro non molto (Fabio Biondi – Europa Galante):

Para esquentar o corpo, é necessário Correr e bater os pés pelo frio

4. Ventos – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 1. Allegro non molto (Fabio Biondi – Europa Galante):

… desafiando os Ventos gelados que sopram nos baixos.

5. Bater os dentes – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 1. Allegro non molto (Fabio Biondi – Europa Galante):

Mesmo assim, o corpo continua a Bater os dentes involuntariamente.

2º mov.: Largo

6. A chuva – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 2. Largo (Fabio Biondi – Europa Galante):

Esta é A chuva caindo lá fora (conseguem ouvir os pingos?).

3º mov.: Allegro

7. Caminhar sobre o gelo – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 3. Allegro (Fabio Biondi – Europa Galante):

Eis o violino tentando Caminhar sobre o gelo.

8. Caminhar devagar e com cuidado – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 3. Allegro (Fabio Biondi – Europa Galante):

Para isto, é necessário Caminhar devagar e com cuidado.

9. Andar rápido e escorregar – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 3. Allegro (Fabio Biondi – Europa Galante):

Confiante, ele começa a Andar rápido e escorregar (o “escorregar” é o mais descritivo de todos).

10. Cair no chão – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 3. Allegro (Fabio Biondi – Europa Galante):

E é inevitável Cair no chão.

11. Correr rápido – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 3. Allegro (Fabio Biondi – Europa Galante):

Agora o violino solo precisa Correr rápido sobre o Gelo, este último representado pelas notas longas nos primeiros e segundos violinos.

12. Sem que o gelo se rompa – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 3. Allegro (Fabio Biondi – Europa Galante):

Ele precisa ser rápido e cuidadoso Sem que o gelo se rompa.

13. O vento Siroco – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 3. Allegro (Fabio Biondi – Europa Galante):

O vento Siroco sopra suave, até dar de frente com…

14. O vento Borea e todos os ventos – Vivaldi: Concerto Op.8 n.4 RV.297 “Inverno” – 3. Allegro (Fabio Biondi – Europa Galante):

O vento Bóreas e todos os ventos (Bóreas é o vento frio do norte, lembram?).

Este post pertence à série “Vivaldi: As Quatro Estações”:
1. A Primavera
2. O Verão
3. O Outono
4. O Inverno