Os segredos da Paixão segundo São Mateus – 7. O destino de Pedro e Judas

Peter Jan Brandl: Pedro com o galo
Peter Jan Brandl: Pedro com o galo

E aí galera fã de Bach! Sim, pois se você vem acompanhando esta série desde o início e chegou até aqui, só pode ser ou ter virado fã desse mestre alemão genial e sua grande Paixão. Resumindo os capítulos anteriores da Paixão segundo São Mateus de Bach, primeiro nós fizemos uma introdução geral da obra, e em seguida começamos a analisar na música os eventos ocorridos em Betânia. Na sequência vimos a Santa Ceia e a ida de Jesus até o Monte das Oliveiras. Lá ele orou, foi entregue por Judas e então preso. Após tudo isso, no último post os sumos sacerdotes chefiados por Caifás julgaram Jesus e o condenaram. E o discípulo Pedro, onde estava durante o julgamento?

38. Rezitativ (Mt 26,69-75): Petrus aber sass draussen im Palast

Bach: Paixão segundo São Mateus – 38a. Petrus aber sass draussen im Palast (Bostridge – Hermans – Wörner – Herreweghe):

Evangelist
Petrus aber sass draussen
im Palast;
und es trat zu ihm eine Magd und sprach:
Evangelista
Pedro porém estava sentado para fora
do palácio;
e aproximou-se dele uma criada e disse:
Erste Magd
Und du warest auch
mit dem Jesu aus Galiläa.
Primeira Criada
E você estava também
com Jesus da Galiléia.
Evangelist
Er leugnete aber vor ihnen allen
und sprach:
Evangelista
Mas ele negou diante de todos eles
dizendo:
Petrus
Ich weiss nicht, was du sagest.
Pedro
Eu não sei o que você está dizendo.

Bach: St. Matthew-Passion - 38a. Petrus aber sass draussen in PalastPedro estava sentado aqui nos graves, fora do palácio que ficava no agudo, quando chegou uma moça simples e fez um inocente comentário. Bach inclusive retira qualquer tom de ameaça de sua voz, que vai de Dó Maior a Fá Maior. Pedro porém se assusta, o Evangelista corre dessas tonalidades e vai lá pra Si bemol Maior para o discípulo responder: “eu não sei” (em Si bemol) “o que você está falando” (em Dó Maior).

Bach: Paixão segundo São Mateus – 38a. Als er aber zur Tür hinausging (Bostridge – Hamilton – Wörner – Herreweghe):

Evangelist
Als er aber zur Tür hinausging,
sahe ihn eine andere
und sprach zu denen, die da waren:
Evangelista
Porém quando passou pela porta,
foi visto por outra [criada]
que disse aos que lá estavam:
Zweite Magd
Dieser war
auch mit dem Jesu von Nazareth.
Segunda Criada
Este estava
também com Jesus de Nazaré.
Evangelist
Und er leugnete abermal und schwur dazu:
Evangelista
E ele negou de novo e jurou:
Petrus
Ich kenne des Menschen nicht.
Pedro
Eu não conheço esse homem.

Bach: St. Matthew-Passion - 38a. Ich kenne des Menschen nichtEis que aparece outra (andere) criada, que não é nem Dó nem Fá Maior como da primeira criada, muito menos no Si bemol de Pedro… mas em Ré Maior. Novamente nem a criada nem as pessoas que lá estavam (die da waren, Lá menor) representam qualquer tipo de ameaça para Pedro: elas são pessoas simples e humildes, não fazem parte da turma dos sacerdotes e dos ricos anciãos. Mas pelo tom de voz do Evangelista sentimos Pedro amedrontado com os 5 sustenidos de Si Maior. E vocês devem lembrar do que eu venho comentando desde lá do nº 17, as tonalidades com sustenidos remetem à crucificação de Jesus, portanto Pedro está com medo de ter o mesmo destino de seu Mestre. Então ele responde sem nenhum acorde no baixo contínuo para o sustentar: será que faltou firmeza no que ele disse?

Bach: Paixão segundo São Mateus – 38b. Wahrlich du bist auch einer von denen (Bostridge – Herreweghe – Collegium Vocale Gent):

Evangelist
Und über eine kleine Weile traten hinzu,
die da stunden, und sprachen zu Petro:
Evangelista
E pouco tempo depois se aproximaram
os que lá estavam e disseram a Pedro:
Chor 2
Wahrlich, du bist auch einer von denen;
denn deine Sprache verrät dich.
Coro 2
Realmente, você também é um deles;
pois sua linguagem o denuncia.

Bach: St. Matthew-Passion - 38a. Und traten hinzu die da stundenPela partitura vemos várias pessoas se aproximando de Pedro: traten hinzu (se aproximaram) é ascendente, e die da stunden (os que lá estavam) ascendente também. As duas criadas anteriores pertenciam ao coro 1, mas estas pessoas aqui são do coro 2, são outras pessoas e assim Pedro se sente cercado. Porém mais uma vez são pessoas simples e que não oferecem qualquer risco ao discípulo: a música flui agradavelmente sem nenhuma dissonância grave ou cromatismos ameaçadores.

Caravaggio: A negação de São Pedro
Caravaggio: A negação de São Pedro

Nos primeiros três compassos do coro, a tonalidade é definitivamente Ré Maior, não há um só acidente na partitura. Mas no quarto e último compasso todas as notas sol estão com sustenido, denunciando uma modulação para Lá Maior. É como se a música dissesse: “eu pareço com Ré Maior, mas na verdade sou Lá Maior porque os sol # da minha linguagem me denunciam”.

Bach: Paixão segundo São Mateus – 38c. Da hub er an sich zu verfluchen (Bostridge – Wörner – Herreweghe):

Evangelist
Da hub er an, sich zu verfluchen
und zu schwören:
Evangelista
Então ele começou a amaldiçoar
e a jurar:
Petrus
Ich kenne des Menschen nicht.
Pedro
Eu não conheço esse homem.
Evangelist
Und alsbald krähete der Hahn.
Evangelista
E imediatamente cantou o galo.

Pedro entra em pânico: o primeiro acorde que ouvimos é um Dó # Maior, tonalidade com 7 sustenidos! Com tantas cruzes se aproximando, ele jura (schwören) numa nota bem aguda do Evangelista, mais ou menos como se estivesse gritando a plenos pulmões.

Bach: St. Matthew-Passion - 38c. Ich kenne des Menschen nichtDiferente da vez anterior, o baixo contínuo aqui frisa quase sílaba por sílaba a negação de Pedro: “eu não conheço esse homem” e ponto, tenho certeza disso. Então o galo canta… e ouvimos uma cadência para Dó # menor. Não tem tantas cruzes (sustenidos) quanto o Dó # Maior que simbolizará a crucificação de Jesus no próximo post, mas a cruz que Pedro terá de carregar pelo resto da vida é outra…

Bach: Paixão segundo São Mateus – 38c. Da dachte Petrus an die Worte Jesu (Bostridge – Herreweghe):

Evangelist
Da dachte Petrus
an die Worte Jesu,
da er zu, ihm sagte:
“Ehe der Hahn krähen wird,
wirst du mich dreimal verleugnen.”
Und ging heraus und weinete bitterlich.
Evangelista
Então lembrou-se Pedro
das palavras de Jesus,
quando ele havia lhe dito:
“Antes que o galo venha a cantar,
você me negará três vezes.”
E saiu e chorou amargamente.

Bach: St. Matthew-Passion - 38c. Ehe der Hahn krähen wird… é a cruz de ter de se lembrar que negou o Mestre poucas horas depois de haver jurado que jamais faria isso, ali no nº 16. Da dachte (então lembrou-se) carrega dois trítonos, realmente foi uma lembrança bem doída. E krähen (cantar do galo) tem um arpejo que lembra o canto do galo, com um trítono que indica que ele não será um dos melhores sons para se ouvir nesse momento.

Bach: St. Matthew-Passion - 38c. Und ging heraus, und weinete bitterlich

Nesta frase und ging heraus (e saiu), o Evangelista canta sua nota mais aguda de toda a Paixão segundo São Mateus, um si agudo, para mostrar que Pedro foi muito, muito longe para chorar. Weinete (chorou), além de ser cantado num melisma muito doloroso e cromático, tem um trítono e dois acordes de 7ª diminuta no baixo: foi um choro bem amargo.

El Greco: As lágrimas de São Pedro
El Greco: As lágrimas de São Pedro

39. Arie (Alto): Erbarme dich

O comentário à negação de Pedro é uma ária muito, muito triste e que não raras vezes faz a platéia inteira chorar. Talvez fosse essa mesma a intenção de Bach pois, reparem, Pedro é cantado por um baixo, e a ária é para outro tipo de voz, um contralto. Ou seja, não é “Pedro” quem lamenta, e sim todos os cristãos representados pela voz do solista. Pedro, com seu jeito simples e rude, é um dos discípulos com que mais pessoas se identificam, e sua falha é uma falha comum a muitos cristãos que escondem sua fé por vergonha, sem haver necessidade para tal.

Bach: Paixão segundo São Mateus – 39. Erbarme dich (Scholl – Herreweghe – Collegium Vocale Gent):

Erbarme dich,
Mein Gott, um meiner Zähren willen!
Schaue hier,
Herz und Auge weint vor dir
bitterlich.
Tem piedade de mim,
meu Deus, veja minhas lágrimas!
Olhe aqui,
coração e olhos choram por você
amargamente.

Bach: St. Matthew-Passion - 39. Erbarme dich, mein Gott

A ária tem um violino solo, cordas e contínuo de acompanhamento, e a melodia do violino é toda intrincada e cheia de detalhes. Mas quando o contralto vai cantá-la, ouvimos apenas uma simplificação toda fragmentada da melodia. Um dos musicólogos que consultei escreveu que a melodia do violino representa a perfeição suprema de Jesus, e o contralto somos todos nós, imperfeitos humanos, tentando imitá-lo. Outro musicólogo porém disse que o solista canta fragmentos da melodia por estar chorando, talvez soluçando.

Fato é, há inúmeros intervalos de segundas descendentes na ária e, como vimos lá na ária nº 8 (Blute nur), segundas descendentes representam choro e lamento. Completando o quadro, os pizzicatos de acompanhamento no baixo poderiam tanto representar as gotas das lágrimas caindo quanto os passos de Pedro, caminhando aturdido após compreender o que havia feito.

Bach: St. Matthew-Passion - 39. Herz und Auge weint vor dirNa parte central da ária, Herz (coração) ocupa uma posição mais grave, abaixo de Auge (olhos). Auge é cantado com uma nota ré aguda, a mesma nota que vemos no violino solo e de onde escorrem duas lágrimas em forma de segundas descendentes.

Esta ária é tão impactante que Bach abre uma exceção e insere um coral luterano para a comentar. É a única vez em toda a Paixão em que um coral comenta algo que não seja um trecho do Evangelho.

40. Choral: Bin ich gleich von dir gewichen

Já ouvi um tenor confessar que este coral é o mais difícil de toda a Paixão segundo São Mateus… por ser muito difícil cantar com os olhos cheios d’água da ária anterior.

Bach: Paixão segundo São Mateus – 40. Bin ich gleich von dir gewichen (Philippe Herreweghe – Collegium Vocale Gent):

Bin ich gleich von dir gewichen,
Stell’ ich mich doch wieder ein;
Hat uns doch dein Sohn verglichen
Durch sein’ Angst und Todespein.
Ich verleugne nicht die Schuld;
Aber deine Gnad’ und Huld
Ist viel grösser als die Sünde,
Die ich stets in mir befinde.
Mesmo que eu tenha me separado de você,
ainda assim eu me apresento novamente;
seu Filho tem se comparado a nós
através do seu medo e agonia da morte.
Eu não nego a culpa;
mas sua graça e bondade
é muito maior que o pecado
que está sempre comigo.

Trata-se da estrofe 6 do coral luterano Werde munter, mein Gemüte, versos de Johann Rist (1642) e melodia de Johann Schop. Só por curiosidade, este é o mesmo coral que Bach utilizou para criar o famoso Jesus Alegria dos Homens. Aqui, Bach o citou como uma espécie de consolação ao lamento que ouvimos na última ária.

41. Rezitativ (Mt 27,1-6): Des Morgens aber hielten

Bach: Paixão segundo São Mateus – 41a. Des Morgens aber hielten (Bostridge – Herreweghe):

Evangelist
Des Morgens aber hielten
alle Hohenpriester
und die Ältesten des Volks
einen Rat über Jesum,
dass sie ihn töteten.
Und bunden ihn, führeten ihn hin
und überantworteten ihn
dem Landpfleger Pontio Pilato.
Evangelista
Ora, pela manhã
todos os sumos sacerdotes
e os anciãos do povo
realizaram um conselho sobre Jesus,
para o matarem.
E o amarraram e o levaram
e o entregaram
para o governador Pôncio Pilatos.

Bach: St. Matthew-Passion - 41a. Alle Hohenpriester und die Ältesten des Volks hielten einen Rat

Ora, pela manhã (des Morgens aber) o sol nasce, e a voz do Evangelista segue a direção do sol, subindo. Olhem lá a hierarquia presente novamente: Hohenpriester (sumos sacerdotes) acima de Ältesten des Volks (anciãos do povo), todos reunidos em meio a várias dissonâncias combinando uma forma de matar Jesus – e então o baixo toca um tcham tcham tcham tcham dissonante típico de filmes antigos de terror. Führeten ihn hin (e o levaram) também é ascendente, mas a melodia para de subir quando o entregam (überantworteten) para Pôncio Pilatos.

Mas, espere aí: eles já não haviam se reunido à noite e condenado Jesus à morte lá no nº 36? Sim, é verdade; mas a Judéia naquela época estava debaixo da jurisdição romana, e somente os romanos tinham o direito de condenar alguém à morte. Ou, melhor dizendo, os sumos sacerdotes até podiam condenar à morte, mas era necessário uma autorização do governador romano para executar a sentença.

Rembrandt: Judas devolvendo as trinta moedas de prata
Rembrandt: Judas devolvendo as trinta moedas de prata

Bach: Paixão segundo São Mateus – 41a. Da das sahe Judas der ihn verraten hatte (Bostridge – Vanhulle – Herreweghe):

Evangelist
Da das sahe Judas, der ihn verraten hatte,
dass er verdammt war zum Tode,
gereuete es ihn, und brachte herwieder
die dreissig Silberlinge
den Hohenpriestern und Ältesten
und sprach:
Evangelista
Então viu Judas, aquele que o havia traído,
que ele [Jesus] estava condenado à morte,
se arrependeu, e devolveu
as trinta moedas de prata
aos sumos sacerdotes e anciãos,
e disse:
Judas
Ich habe übel getan,
dass ich unschuldig Blut verraten habe.
Judas
Eu fiz o mal,
pois sangue inocente eu traí.

Eis que aparece Judas, como sempre cercado de dissonâncias como o acorde de 7ª diminuta em verraten hatte (havia traído), e vai pedir clemência aos sumos sacerdotes (Hohenpriestern) no agudo e aos anciãos (Ältesten) um pouco mais abaixo.

Bach: St. Matthew-Passion - 41a. Ich habe übel getan, dass ich unschuldig Blut verraten habe

A frase de Judas tem várias dissonâncias, e até aí não há nada demais: übel (mal) com um acorde de 7ª diminuta, unschuldig Blut (sangue inocente) com um trítono, e verraten habe (eu traí) com notas do acorde diminuto. Mas o que soa estranho mesmo é essa linha melódica meio imprevisível, com saltos grandes e erráticos: Judas não está no seu normal…

Bach: Paixão segundo São Mateus – 41b. Was gehet uns das an (Bostridge – Herreweghe – Collegium Vocale Gent):

Evangelist
Sie sprachen:
Evangelista
Eles disseram:
Chor 1+2
Was gehet uns das an?
Da siehe du zu.
Coro 1+2
O que temos a ver com isso?
O problema é seu.
Evangelist
Und er warf die Silberlinge in den Tempel,
hub sich davon, ging hin
und erhängete sich selbst.
Evangelista
E ele jogou as moedas de prata no templo,
retirou-se dali, afastou-se
e enforcou a si mesmo.

Bach: St. Matthew-Passion - 41c. Und er warf die Silberlinge in den TempelOs dois coros cantam alternados, como se estivessem empurrando Judas de um lado para o outro, brincando com o pobre coitado. Então ele fica com raiva: com uma 7ª diminuta ele joga (und er warf) as moedas no chão, nos graves, e retira-se dali (hub sich davon) indo para uma região aguda.

Bach: St. Matthew-Passion - 41c. Judas erhängete sich selbstE lá, completamente alterado, Judas tira sua própria vida ao som de um acorde de 7ª diminuta no baixo. Erhängete (enforcou) é descendente, como o próprio movimento de se enforcar, e há quem veja na semínima de selbst ([si] mesmo) um corpo pendurado enforcado pela apogiatura…

Uma curiosidade: dos quatro evangelistas, Mateus é o único que nos conta o que aconteceu com Judas após a traição.

Bach: Paixão segundo São Mateus – 41c. Aber die Hohenpriester (Bostridge – Vanhulle – Wörner – Herreweghe):

Evangelist
Aber die Hohenpriester
nahmen die Silberlinge und sprachen:
Evangelista
Mas os sumos sacerdotes
tomaram as moedas de prata e disseram:
Pontifices
Es taugt nicht, dass wir sie
in den Gotteskasten legen,
denn es ist Blutgeld.
Pontífices
Não é adequado que nós as coloquemos
com as ofertas do templo
porque é dinheiro de sangue.

Como as moedas estavam no chão, nahmen (tomaram) está localizado nos graves: os sacerdotes se abaixaram para pegá-las. Legen (coloquemos) também se dirige para os graves, indicando a direção para onde iriam as moedas se elas fossem depositadas com as demais ofertas. E antes de vermos o que é que os sumos sacerdotes fizeram com as moedas, vamos ouvir o comentário sobre o arrependimento de Judas.

42. Arie (Bass): Gebt mir meinen Jesum wieder

Tanto esta ária quanto a nº 39 (Erbarme dich) têm a mesma instrumentação: violino solo, cordas e contínuo. Bach assim quer comparar os remorsos dos dois discípulos, Pedro e Judas, apesar das duas árias serem completamente diferentes.

Bach: Paixão segundo São Mateus – 42. Gebt mir meinen Jesum wieder (Henschel – Herreweghe – Collegium Vocale Gent):

Gebt mir meinen Jesum wieder!
Seht, das Geld, den Mörderlohn,
Wirft euch der verlorne Sohn
zu den Füssen nieder.
Devolva-me meu Jesus!
Veja, o dinheiro, o salário do assassino,
é lançado pelo filho perdido
aos seus pés, para baixo.

Bach: St. Matthew-Passion - 42. Seht, das Geld, den Mörderlohn

No solo de violino, há uma parte de arpejo em várias cordas que parece simbolizar o tilintar das moedas dentro do saquinho. É fácil reconhecer qual é este trecho: o violino toca este motivo toda vez que o solista diz “veja o dinheiro!” (seht das Geld)…

Bach: St. Matthew-Passion - 42. Das Geld wirft euch zu den Füssen nieder

… e para de tocar quando as moedas são jogadas no chão, com o solista cantando zu den Füssen nieder (aos seus pés, para baixo). Aliás, nieder, do verbo niederwerfen (lançar para baixo) é sempre cantado de maneira descendente, apontando para o chão. Já verlorne Sohn (filho perdido) é uma comparação direta de Judas com o personagem principal da Parábola do Filho Pródigo, pois ambos erraram e depois de arrependeram.

No retorno à primeira parte da ária, como o violino passa a tocar o motivo do tilintar com a voz cantando “devolva meu Jesus”, ficamos imaginando o fiel arrependido chacoalhando o saquinho de moedas na frente dos sacerdotes. Mas todos nós sabemos que eles não estão nem aí, e em vez de devolverem Jesus, vão dar um outro fim para o dinheiro. Ouça:

43. Rezitativ (Mt 27,7-14): Sie hielten aber einen Rat

Bach: Paixão segundo São Mateus – 43. Sie hielten aber einen Rat (Bostridge – Herreweghe):

Evangelist
Sie hielten aber einen Rat
und kauften einen Töpfersacker darum,
zum Begräbnis der Pilger.
Daher ist derselbige Acker
genennet der Blutacker
bis auf den heutigen Tag.
Da ist erfüllet, das gesagt ist
durch den Propheten Jeremias,
da er spricht:
“Sie haben genommen dreissig Silberlinge,
damit bezahlet ward der Verkaufte,
welchen sie kauften
von den Kindern Israel;
und haben sie gegeben um
einen Töpfersacker,
als mir der Herr befohlen hat.”
Evangelista
Mas eles se reuniram em um conselho
e compraram então um campo de oleiro
para o funeral dos peregrinos.
Por isso esse mesmo campo
é chamado de Campo de Sangue
até os dias de hoje.
Assim se cumpriu o que foi dito
pelo profeta Jeremias,
que disse:
“Eles tomaram trinta moedas de prata,
o [valor] que foi pago pelo Vendido,
o qual eles compraram
dos filhos de Israel;
e as deram por
um campo de oleiro,
assim como o Senhor havia me ordenado.”

Mateus por vezes usa palavras que fogem do nosso cotidiano moderno, como por exemplo oleiro, que é aquele artesão que faz vasos e utensílios de barro, o operador da olaria. E também cita costumes estranhos ao nosso tempo, como o fato dos peregrinos (isto é, estrangeiros) serem enterrados num outro cemitério separado dos demais.

Bach: St. Matthew-Passion - 43. Zum Begräbnis der PilgerBach coloca Begräbnis (funeral) em notas graves, desenhando até um “travesseiro” no túmulo para o peregrino (Pilger), em cima, poder repousar a cabeça. Blutacker (Campo de Sangue), palavra feia, está bem acompanhada de um acorde dissonante de 7ª diminuta. E é na profecia que encontramos a nota mais aguda do trecho na palavra Herr (Senhor), Deus acima de tudo. Aliás, quem quiser procurar essa profecia na Bíblia vai encontrá-la não em Jeremias, mas no livro de Zacarias, capítulo 11.

Sem nenhuma pausa ou comentário a história de Judas termina aqui. Voltemos então para a história de Jesus, nosso personagem principal.

Mihály von Munkácsy: Cristo diante de Pilatos
Mihály von Munkácsy: Cristo diante de Pilatos

Bach: Paixão segundo São Mateus – 43. Jesus aber stund vor dem Landpfleger (Bostridge – Selig – Henschel – Herreweghe):

Evangelist
Jesus aber stund vor dem Landpfleger;
und der Landpfleger fragte ihn und sprach:
Evangelista
Jesus porém estava diante do governador;
e o governador perguntou-lhe dizendo:
Pilatus
Bist du der Jüden König?
Pilatos
Você é o Rei dos Judeus?
Evangelist
Jesus aber sprach zu ihm:
Evangelista
Jesus disse a ele:
Jesus
Du sagest’s.
Jesus
É você quem diz.

Bach: St. Matthew-Passion - 43. Der Landpfleger fragte ihnA hierarquia entre Jesus e Pilatos é bem clara na voz do Evangelista: Jesus acima de Landpfleger (governador), e Landpfleger abaixo de ihn (“ele”, Jesus). À pergunta de Pilatos, Jesus responde de maneira simples, sem grandes discursos como aquele último lá no nº 36.

Mas reparem no acompanhamento das cordas, são três acorde secos e burocráticos. Bach quer nos mostrar que a aura de divindade de Jesus está diminuindo e que ele está se tornando menos “Deus” e mais humano. É significativo que esta seja a última vez que Jesus fala com o “halo” de cordas.

Bach: Paixão segundo São Mateus – 43. Und da er verklagt ward (Bostridge – Henschel – Herreweghe):

Evangelist
Und da er verklagt ward
von den Hohenpriestern und Ältesten,
antwortete er nichts.
Da sprach Pilatus zu ihm:
Evangelista
E então ele foi acusado
pelos sumos sacerdotes e anciãos,
e ele não respondeu nada.
Então disse Pilatos a ele:
Pilatus
Hörest du nicht,
wie hart sie dich verklagen?
Pilatos
Você não ouve
como eles duramente o acusam?
Evangelist
Und er antwortete ihm nicht auf ein Wort,
also, dass sich auch der Landpfleger

sehr verwunderte.
Evangelista
E ele não respondeu nem uma palavra,
de modo que o governador
ficou muito maravilhado.

Em verklagt (acusado) há um trítono entre voz e baixo; Ältesten (anciãos), além de estar em notas mais graves do que Hohenpriestern (sumos sacerdotes), vem acompanhado de um acorde diminuto. Com tantas dissonâncias, só resta a Jesus silenciar nos graves, com antwortete er nichts (ele não respondeu nada). Pilatos usa o registro agudo para gritar duramente com Jesus, e a palavra verklagen (acusam) cai num acorde de Dó # 7 com muitos sustenidos ameaçadores: a situação de Jesus está bem terrível. Mas…

Mas, ao contrário do que parece, o governador se encanta com o silêncio de Jesus, e por isso ouvimos uma cadência feliz para Ré Maior, como um sopro de esperança no meio de tanta devastação. Veremos no próximo post que, se depender de Pilatos, Jesus será liberado são e salvo, e o acorde de Ré Maior ouvido aqui vai representar um papel bastante importante nesse processo.

Nikolai Ge: O que é a verdade. Cristo e Pilatos
Nikolai Ge: O que é a verdade. Cristo e Pilatos

E por que o governador se maravilhava? Veremos também na narrativa do nº 45 que Pilatos sabia que os sacerdotes queriam condenar Jesus por inveja, e não por motivos políticos reais. Como governador da Judéia por tanto tempo (de 26 D.C. a 36 D.C.), Pilatos deve ter feito vários julgamentos como este, e deve ter visto vários bandidos em desespero negando acusações verdadeiras por medo da morte. Jesus, pelo contrário, permanece em silêncio diante de acusações falsas e só responde a uma dúvida sincera do governador. Como não se maravilhar diante deste comportamento?

44. Choral: Befiehl du deine Wege

O coral luterano que vem em seguida é a primeira estrofe de Befiehl du deine Wege, versos de Paul Gerhardt (1653) e mesma melodia da canção popular de Hans Leo Hassler (1601) usada no outro coral O Haupt voll Blut und Wunden que já ouvimos nos nºs 15 e 17 e ainda ouviremos nos nºs 54 e 62:

Bach: Paixão segundo São Mateus – 44. Befiehl du deine Wege (Philippe Herreweghe – Collegium Vocale Gent):

Befiehl du deine Wege
Und was dein Herze kränkt
Der allertreusten Pflege
Des, der den Himmel lenkt;
Der Wolken, Luft und Winden
Gibt Wege, Lauf und Bahn,
Der wird auch Wege finden,
Da dein Fuss gehen kann.
Confie os seus caminhos
e o que machuca o seu coração
ao mais fiel guardião,
aquele que reina nos céus.
Às nuvens, ar e ventos
ele dá caminho, rumo e trilha,
ele também vai achar caminhos
para o seu pé poder caminhar.

Curiosamente o coral não tem muito a ver com o que se passou. No Evangelho de São João, o diálogo entre Pilatos e Jesus é bem maior, e numa de suas respostas Jesus diz que seu reino não é deste mundo. Aí sim, poderíamos achar um gancho entre o que se passou e os versos desta estrofe.

De qualquer forma, a intenção de Bach ao adicionar um coral aqui neste ponto foi a de separar o trecho anterior do Evangelho, que foi bem longo, do trecho a seguir, o fantástico nº 45 que veremos no início do próximo post. Lá estarão alguns dos episódios mais famosos de toda a história da Paixão de Cristo – e também uma das cenas-chave para o desenrolar da história. Controlem a ansiedade, nos veremos em breve!

Este post pertence à série “Os segredos da Paixão segundo São Mateus”:
1. Introdução, história da composição e estrutura
2. Jesus em Betânia
3. A Última Ceia
4. No caminho para o Monte das Oliveiras
5. Tentação e Prisão de Jesus
6. Jesus diante de Caifás
7. O destino de Pedro e Judas
8. O julgamento diante de Pilatos
9. A Crucificação
10. Morte e Sepultamento
Tradução da Paixão segundo São Mateus, de Bach

8 Respostas

  1. Suzete Garcia
    |

    Belíssimo trabalho! E muito elucidativo. Obrigada, é um verdadeiro presente .

  2. Leonardo T. Oliveira
    |

    Para a medida do entusiasmo os posts estão ficando até curtos: já queria ler MAIS.

  3. Elisangela Martins
    |

    A forma como os trechos são associados as notas fazem toda a diferença nesta análise e particularmente neste post, transparecendo a profundidade técnica desta Obra.
    Os violinos solo são um show à parte!
    Controlar a ansiedade…DIFÍCIL.
    :D

  4. Louis
    |

    Olá.

    Você viu o novo documentário da BBC, Bach: a passionate life, apresentado por John Eliot Gardiner, Amancio? Talvez, se não for um pedido muito abusado, você poderia fazer uma review dele aqui no blog, hm? Há muitas informações que um espectador comum não tem como avaliar. Achei-o bastante psicologista.

    Abraços.

  5. Amancio Cueto Jr.
    |

    Vou procurar no Youtube, sou apaixonado por esse tipo de material!

    PS.: Achei! começa aqui: http://www.youtube.com/watch?v=3K5QtR40uls
    Obrigado Louis!

  6. Amancio Cueto Jr.
    |

    Olá Louis,

    Só hoje pude terminar de assistir ao documentário, e o achei muito bom! No momento estou bastante envolvido com meus dois próximos posts, mas fiquei bem tentado em montar algo em cima desse vídeo para os próximos meses. Me aguarde! (risos)

    Novamente, obrigado pela indicação!

  7. Marcelo José
    |

    Caro Amancio, quero agradecer (e muito) a você pelo seu esforço heroico em partilhar tantas informações importantes aos amantes da Música Clássica que acompanham os posts do Euterpe. Reconheço seu trabalho. Os segredos da Paixão segundo São Mateus realmente são revelados. Amo Bach. Escuto a música dele desde que me conheço por gente (e faz tempo!). E aprendi muita coisa ao ler seus posts. Particularmente, fico muito comovido quando escuto “Erbarme dich” e este sentimento só aumenta toda vez que releio a explicação dada por você a esta ária. Hoje, tenho me interessado por estas “imagens mentais” provocadas pelos sons(!), principalmente quando são conscientemente construídas pelo compositor na partitura. Creio que o que sentimos são os efeitos dos nossos arquétipos, quando ativados deliberadamente pelo compositor. Mas isto são apenas divagações minhas. De qualquer forma, outras referências a esta simbologia de Bach podemos encontrar nos dois livros do mestre Nikolaus Harnoncourt: “O Diálogo Musical” e “O Discurso dos Sons” que, suponho, você os conheça muito bem! Novamente, obrigado. Marcelo José.

  8. Amancio Cueto Jr.
    |

    Olá Marcelo, obrigado pelas palavras! Sim, “O Discurso dos Sons” eu já li e recomendo a todos os que me pedem uma dica de livros sobre música antiga. Já o outro eu nunca tive oportunidade; vou procurá-lo, obrigado pela recomendação!

Deixe uma resposta